Capa » Resenhas » Resenha | O Templo dos Ventos (Trilogia dos Pássaros – livro 1)
Resenha | O Templo dos Ventos (Trilogia dos Pássaros – livro 1)

Resenha | O Templo dos Ventos (Trilogia dos Pássaros – livro 1)

Em 2017, o podcaster Marcelo Zaniolo, host e criador do LivroCast, estreou como escritor com O Templo dos Ventos, primeiro volume da Trilogia dos Pássaros. Inspirando-se em Harry Potter e Percy Jackson, o autor criou uma fantasia repleta de aventuras em um mundo pós-apocalíptico.

Após a Grande Inundação, os humanos remanescentes refugiaram-se em uma montanha e ali estabeleceram uma sociedade. Com o passar dos anos, alguns moradores da Aldeia passaram a ir contra as regras e foram banidos, formando assim um grupo rival conhecido apenas como Renegados. A rixa entre os dois povos atinge seu ápice após a morte de uma criança. Porém, quando os moradores da Aldeia se reúnem no Templo dos Ventos para discutir quais atitudes tomar, uma águia gigante surge cobrando uma espécie de Dívida muito antiga que os homens possuem com os pássaros. A partir daí, um grupo de jovens parte em busca de um segredo que poderá esclarecer esse mistério e acabar com todos os impasses.

O relato é feito em primeira pessoa por Noah, o escrivão da Aldeia. Acompanhamos sua jornada montanha abaixo com seu irmão, Átila, o filho do Ancião, Deni, e a exímia arqueira Zoe. A partir do ponto de vista deles descobrimos que a humanidade ainda está se readaptando ao mundo. Nesse aspecto, a trama se assemelha à saga da Torre Negra, de Stephen King, onde o mundo “seguiu adiante” e as pessoas se esqueceram dos costumes antigos ao ponto destes se tornarem apenas lendas. Além disso, até certo ponto da leitura não é possível afirmarmos se a história se passa no futuro ou no passado.

Parte da readaptação dos personagens está na inesperada interação deles com as aves. Em diversos momentos essa relação lembra muito Pokémon, tanto nas cenas de ação como nas passagens mais calmas, pois o vínculo criado entre eles é o grande motivador da narrativa. Isso os obrigar a rever diversos conceitos e a pensar sobre como lidam com a natureza e como seus antepassados lidavam.

Aliado à procura pelo significado da Dívida está o desejo de Noah encontrar seu papel no grupo. Átila é o líder, o guerreiro mais forte; Deni é inteligente, herdeiro dos conhecimentos do homem mais sábio da Aldeia; e Zoe é habilidosa no arco e flecha. Ele, por outro lado, é apenas o escrivão e fica se menosprezando por isso, chegando mesmo a ficar entediante em algumas partes. Entretanto, podemos intuir que há algo de especial nele.

Encerrando-se no momento certo, O Templo dos Ventos nos promete reviravoltas e novos pontos de vista para sua sequência. Com uma narração fluida que faz com que viremos as páginas automaticamente, Marcelo Zaniolo mostra seu potencial como escritor de fantasia e um futuro promissor para a Trilogia dos Pássaros.

Adicione este livro à sua biblioteca!

Ouça a participação de Marcelo Zaniolo no Novos Autores

Conheça a saga A Torre Negra, de Stephen King

Saiba mais sobre Percy Jackson em:

 

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.