Capa » Cinema » Ação » De Volta Para o Futuro (1985) | Crítica COM SPOILERS
De Volta Para o Futuro (1985) | Crítica COM SPOILERS

De Volta Para o Futuro (1985) | Crítica COM SPOILERS

Escrever sobre De Volta Para o Futuro com imparcialidade é um grande desafio. Só de rever o filme já me sinto tomado pelo sentimento de nostalgia que, por sua vez, me leva ao passado a bordo de um DeLorean em alta velocidade. Mais precisamente, vou para um ponto fixo na minha linha temporal: o momento em que conheci nos anos 90 o início dessa franquia. Responsável por marcar toda uma geração de fãs e influenciar outras produções para o cinema e TV, a aventura dirigida por Robert Zemeckis é referência quando o assunto é viagem no tempo. Por conta disso, faço questão de fazer essa primeira análise em outubro por ser um mês que tem um significado especial relacionado com a trama dos primeiros filmes.

De volta para o futuro

Em De Volta Para o Futuro, conhecemos Marty McFly (Michael J. Fox), um adolescente de uma pequena cidade californiana que é transportado para a década de 1950 quando a experiência do excêntrico cientista Doc Brown (Christopher Lloyd) dá errado. Por conta de um descuido enquanto fugia de terroristas libaneses, ele some da cidade de Hill Valey em 26 de outubro de 1985 para chegar no mesmo local em 5 de novembro de 1955. Nesse ano, Marty conhece versões jovens de seus pais e precisa fazer com que eles se apaixonem ou então deixará de existir. Para complicar, Marty precisa voltar para casa a tempo de salvar seu amigo de ser assassinado na mesma noite em que viajou no tempo pela primeira vez.

O primeiro ponto a ser observado sobre a apresentação da trama é como ela foca no personagem de Michael J. Fox. O roteiro escrito pela dupla Robert Zemeckis e Bob Gale aposta bastante no carisma do ator, principalmente para situações mais cômicas. Isso não é nenhuma surpresa tendo em vista que nos anos 80 ele já se destacava na TV na comédia Caras e Caretas (Family Ties no original). Esse detalhe é ainda mais importante quando percebemos o quanto o seu Marty McFly encaixou perfeitamente com o tom leve e divertido do filme.

Outra questão que também se destaca em De Volta Para o Futuro é toda a aventura envolvendo o protagonista tentando salvar a própria existência. Ao interferir acidentalmente no momento em que seus pais deveriam ter se conhecido, McFly se vê obrigado a consertar isso criando uma nova situação para que eles se apaixonem. No entanto, atingir esse objetivo não é nada fácil com o valentão Biff Tannen (Thomas F. Wilson) no caminho. Para se livrar dele, Marty usa toda a sua esperteza em situações de grande risco que sempre acabam com o mesmo resultado: a derrota de seu antagonista. Mesmo que isso seja previsível, o roteiro brinca com cada possibilidade de formas diferentes e ao mesmo tempo criativas. Com isso, temos cenas que servem perfeitamente para criar uma gag (piada rápida) no roteiro da franquia que sabiamente são referenciadas nos outros filmes. Em relação ao elemento dramático, o destaque fica para um importante momento que serve como ponto de virada para George McFly (Crispin Glover) enfrentar seus próprios medos.

De volta para o futuro 1 Marty

Esses aspectos positivos são apenas alguns dentre vários que fazem com que essa produção seja um verdadeiro ícone da cultura pop. Produzido e lançado em 1985, De Volta Para o Futuro surpreendeu na época com os efeitos especiais utilizados na máquina do tempo em forma de carro conhecida como DeLorean. Soma-se a isso a trilha sonora instrumental de autoria de Alan Silvestri que é facilmente considerada umas das mais icônicas da história do cinema.

Antes de encerrar esse desafio em forma de crítica, não posso deixar de lado a questão da dublagem. De Volta Para o Futuro, assim como outras obras, passou por um redublagem no início dos anos 2000. Para alguns fãs, as vozes de Orlando Viggiani (Martin McFly) e Eleu Salvador (Dr. Brown) marcaram a memória dos fãs de forma afetiva. Esse apego é tão grande a ponto de não aceitarem os dubladores Manolo Rey e Mauro Ramos, os novos dubladores de McFly e Brown,  na nova versão. Particularmente, sou fã da primeira versão dublada e tenho ela eternizada na memória. Ao mesmo tempo, não desmereço o trabalho da nova dupla que é competente e merece todo o respeito do público.

Enfim, desafio aceito e missão cumprida. De Volta Para o Futuro é sem dúvida um dos meus filmes favoritos de todos os tempos. Relembrar cada uma das qualidades desse ícone cinematográfico reforça essa afirmação ainda mais. Felizmente, esse é apenas o começo. Em breve, retornarei para falar sobre a continuação que assim como o DeLorean ousou em sobrevoar novos ares.

de volta para o futuro DeLorean

Ficha técnica:

  • Ano de lançamento: 26 de dezembro de 1985
  • Duração: 1h56min
  • Gênero: aventura
  • Direção e roteiro: Robert Zemeckis e Bob Gale
  • Elenco: Michael J. Fox (Michael J. Fox), Christopher Lloyd (Doc Brown), Thomas F. Wilson (Biff Tannen), Crispin Glover (George McFly), Lea Thompson (Lorraine Baines), entre outros.

Assista ao trailer:

Conteúdo relacionado:

Confira o nosso Especial Viajantes do Tempo

Sobre Marcus Alencar

Avatar
Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida