Capa » Cinema e TV » Séries | Doctor Who 11×7: Kerblam! | Review
Séries | Doctor Who 11×7: Kerblam! | Review

Séries | Doctor Who 11×7: Kerblam! | Review

[SPOILERS] Com o perdão do trocadilho, Kerblam! entrega exatamente o que se espera da atual temporada de Doctor Who. Nesta nova aventura, temos uma continuidade de tudo o que foi visto até o momento: trabalho em equipe, temas pertinentes sendo discutidos e o ser humano como verdadeiro vilão. E o melhor de tudo é que isso não fica cansativo ou repetitivo.

Na trama do 7º episódio, uma mensagem misteriosa chega em uma entrega para a Doutora, o que leva ela, Graham, Yaz e Ryan a investigar uma lua-depósito que orbita Kandoka, o qual é o local onde fica a maior loja da galáxia: Kerblam. Antes da investigação começar, vemos a equipe agindo de forma harmoniosa. Em poucos minutos, surge um plano e os detalhes de como esse será executado. Nesse momento, vemos como a Doutora sabe utilizar bem as habilidades de cada um fazendo com que seus amigos sejam mais do que meros coadjuvantes.

Esse é apenas um aspecto positivo de Kerblam! que em algumas cenas pontuais referencia momentos da era moderna da série. Os mais atentos perceberão citações a “The Unicorn and the Wasp” além da “participação” de um curioso acessório utilizado pelas 10º e 11º regenerações do Doutor no especial de 50 anos. Isso não é tudo já que em dado momento a 13 Doutora diz: “Meus melhores amigos são robôs”. Com apenas esta frase, o roteiro resgata a lembrança vários personagens como K9, Handles e até Nardole.

Outro detalhe clássico de Kerblam! é como o episódio consegue criar em seu público um novo tipo de medo. Nesse caso, graças as manipulações de Charlie Duffy (Leo Flanagan), um plástico bolha tornou-se algo tão perigoso quanto piscar ou respirar. Uma ideia bem interessante, mas sem tanta importância como aconteceu em outros episódios como “Blink” e “Deep Breath” por exemplo. Nesse sentido, é um acerto do roteiro ir além disso e fazer algo que seja coerente com tudo o que já foi entregue nesta temporada.

Isso ocorre porque há um tema pertinente sendo discutido enquanto todo o mistério está sendo desvendado. No caso, a tecnologia substituindo praticamente quase toda a mão de obra humana no ambiente de trabalho. Dessa forma, fica mais fortalecida este tipo de escolha narrativa da atual temporada que já abordou temas como preconceito (Rosa) e segregação (Demons of The Punjab). 

Kerblam! é mais um exemplo de bom episódio. Faz referências na medida certa, o que é um presente para os fãs da série, e aumenta nossas expectativas para o futuro por conta de sua qualidade. Se isso se manter até o final da temporada, o showrumnner Chris Chibnall poderá dizer sem medo que entregou um trabalho de sucesso.

Ficha técnica:

  • Episódio: 11×7: Kerblam!
  • Data de exibição: 18 de novembro de 2018
  • Roteiro: Pete McTighe
  • Direção: Jennifer Perrott
  • Duração: 48 minutos
  • Elenco: Jodie Whittaker (Décima terceira Doutora), Bradley Walsh (Graham O’Brien), Tosin Cole (Ryan Sinclair), Mandip Gill (Yasmin Khan).
  • Elenco convidado:  Matthew Gravelle (voz dos Kerblam), Claudia Jessie (Kira Arlo), Leo Flanagan (Charlie Duffy), entre outros.

Assista ao trailer:

Veja o nosso review sobre os episódios anteriores

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida