Resenha | Um Porto Seguro
Editora Novo Conceito

Resenha | Um Porto Seguro

Este livro, na verdade, era para ter sido dado de presente. Porém, como a pessoa a quem eu ia dá-lo já estava de posse de um exemplar, acabamos combinando de ler essa obra ao mesmo tempo. Para mim, foi a primeira vez que li um livro do Nicholas Sparks, autor famoso por suas histórias românticas, várias já adaptadas para o cinema, incluindo esta, e devo confessar que temia por uma trama muito “água com açúcar”. Mas, felizmente, isso não se comprovou.

Com um estilo de narração claro e objetivo, o livro conta, em terceira pessoa, a história de Katie, uma linda mulher que chega a Southport. Como acontece em toda cidade pequena, logo começam a especular sobre sua vida. Entretanto, a moça se mantém reservada, morando em uma casa afastada do centro da cidadezinha e falando pouco sobre seu passado.

As coisas começam a mudar, quando duas pessoas surgem em sua vida: Jo, sua nova vizinha, e Alex, um viúvo pai de dois filhos. Jo é uma espécie de conselheira que diz a Katie tudo o que ela já sabe, mas não gosta de admitir. Por vezes, ela chega a ser uma personagem irritante por ser tão inconveniente. Já no caso de Alex, a relação entre ele e Katie vai se estreitando cada vez mais até ambos estarem cientes de que se amam.

Assim, Katie ganha coragem para se abrir para essas duas pessoas tão íntimas e, finalmente, conhecemos o que tanto a atormentava. É essa revelação que faz com que a trama se torne interessante. A provação pela qual a protagonista passou, infelizmente, é um drama comum na vida de muitas mulheres e é exatamente esse realismo que conquista a atenção e identificação dos leitores.

Dessa forma, a leitura vai progredindo, com Katie tentando esquecer os fantasmas do passado, vivendo dividida entre a vontade de ficar e fugir; até, enfim, o passado vir ao encontro dela, obrigando-a a tomar uma decisão definitiva.

Lendo esse livro, percebi que Sparks consegue traduzir os sentimentos e os mecanismos da mente das pessoas. Ele não somente fala de amor e coisas “fofinhas” e enjoativas, mas compreende também como funciona a mente deturpada de alguns indivíduos e como estes justificam a sua própria loucura como se fossem eles as vítimas.

Assim sendo, Um Porto Seguro mostrou-se uma leitura agradável e atraente, que consegue nos surpreender mais uma vez depois de termos pensado que não havia mais surpresas. Além, é claro, de ter quebrado um preconceito pessoal que eu tinha com histórias românticas.

Adicione este livro à sua estante!

um porto seguro

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.