Capa » Resenhas » Resenha | Sob Os Olhos do Delírio
Resenha | Sob Os Olhos do Delírio

Resenha | Sob Os Olhos do Delírio

O medo pode assumir várias formas, mas nenhuma é tão aterrorizante quanto o medo da perda. Seja sua saúde, um grande amor ou até mesmo uma fantasia idealizada, a perda de um desses elementos pode ser devastadora. A coletânea de contos Sob Os Olhos do Delírio, do escritor paraense Fábio de Andrade, nos apresenta três almas desafortunadas que foram beijadas pela loucura após experimentarem esse temor de perderem algo precioso em suas vidas.

O conto que inicia a obra é O Horrível Fim de José de Alencar que, apesar do nome, não faz referência ao célebre escritor brasileiro. A trama é o relato em primeira pessoa do Sr. José de Alencar, que sai para dar uma volta pelo bairro e se depara com a misteriosa casa 89. Lá, o idoso presencia uma cena macabra que desafia sua sanidade e o corrói por dentro. Dos três contos que compõem o livro, sem dúvidas esse é o mais assustador, bebendo das fontes de Edgar Allan Poe e H. P. Lovecraft. A narração faz com que nos assustemos junto com o protagonista, conforme o seu medo se transforma em pânico, horror e, por fim, tormento.

O segundo conto, Em Casa, possui um tom diferente do anterior. A atmosfera criada em poucas linhas está mais voltada para o drama ao narrar a história de Alfredo, um apaixonado homem de meia idade que retorna para ver a esposa após 10 anos longe de casa. A estrutura na qual foi escrito reflete a sensibilidade do autor e sua habilidade ao resumir a ideia geral na última frase, criando um entendimento para o todo. Isso é notável por se tratar de um texto pequeno, mas que consegue transmitir tudo o que deveria ser dito sem deixar aquela sensação de que faltou alguma coisa.

Já o último conto é, de longe, o mais complexo e instigante. OBMEN – 01 se passa em um manicômio russo no qual trabalha o jovem enfermeiro Nikolai. Ele acaba se envolvendo com uma das pacientes que, na verdade, é cobaia de um experimento militar que visa reaproveitar pessoas mentalmente incapacitadas. Assim, o rapaz elabora um plano para tentar ajudar a mulher, porém a confusão proposital da narrativa torna incerto o destino dos personagens até sua conclusão surpreendente. Em muitos momentos, o cenário criado lembra o ambiente hostil do hospício descrito por William Peter Blatty em A Nona Configuração, porém com um intuito mais obscuro.

Apesar das diferenças no tamanho e no estilo narrativo, o autor se assemelha a Stephen King quando o assunto é trabalhar o psicológico dos indivíduos. Independentemente do contexto, os protagonistas imaginados por Fábio de Andrade em Sob Os Olhos do Delírio mostram o que o medo pode fazer com a mente das pessoas e como ele pode se manifestar da forma mais sombria sobre aqueles que perderam algo insubstituível. Entretanto o mais impressionante é enxergar um pouco de lucidez em meio à loucura.

Adicione este livro à sua estante!

Ouça a participação de Fábio de Andrade no podcast Novos Autores

Leia a resenha de A Nona Configuração, de William Peter Blatty

Leia mais sobre Stephen King

Conheça outra coletânea de terror nacional: Sangue na Lua e Outros Contos, de Sheila Schildt

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.