Resenha | Sete Dias de Lázaro

Resenha | Sete Dias de Lázaro

A Literatura já criou e utilizou diversas mitologias diferentes, cada qual com seus deuses, anjos, elfos, vampiros, lobisomens, bruxos e outras criaturas fantásticas. Mas tentar englobar todos esses seres dentro de um mesmo contexto é uma tarefa difícil e arriscada. Contudo, a autora paranaense Luana Minéia conseguiu chegar a um ponto de equilíbrio logo em seu romance de estreia.

O livro narra em terceira pessoa a guerra entre os bruxos e Lótus, um espírito maligno que fugiu do Tártaro. Ao mesmo tempo, Leiazel, um anjo da guarda, desce à Terra em busca da alma de seu protegido. Os caminhos de todos se cruzam quando o líder dos bruxos, o Barão Rafaello, reúne seus servos para a batalha. Dentre seus seguidores, está uma equipe que recebe a missão de ir atrás dos artefatos que derrotarão Lótus definitivamente. Enquanto este grupo age, uma série de conspirações, traições e alianças são feitas para decidir o destino não só do planeta, mas de todas as dimensões fantásticas.

A sinopse oficial dá destaque para Lucas e Douglas, dois jovens que fazem parte do time que vai atrás das armas mágicas espalhadas pelo mundo. Lucas é cercado de mistérios e possui um poder inexplicável; Douglas é predestinado a ser o bruxo que derrotará Lótus, mesmo sabendo que não é capaz. No entanto, há muitos personagens envolvidos, cada um com sua parcela de importância. Assim, não existe necessariamente um único protagonista.

Um ponto de destaque, são os lugares visitados pelo grupo de Douglas em sua jornada. Todos são reais e de uma beleza exótica, sempre destacando um dos quatro elementos essenciais da natureza. Cada um desses lugares tem uma curiosidade particular que a autora soube utilizar de maneira inteligente no contexto da trama.

Outra característica que não pode passar despercebida é que a narração intercala entre os fatos presentes e passados. As informações vão sendo soltas aos poucos para os leitores, nos deixando sempre ansiosos pelo que virá a seguir. Dessa forma, vamos descobrindo gradativamente o que realmente aconteceu duas décadas atrás e percebendo que nem tudo é o que parece.

Entretanto, o que funciona bem na maior parte do tempo também impede a obra de ser excelente. A grande quantidade de personagens não permitiu que eles fossem aprofundados como deveriam , ou que tivessem um final melhor desenvolvido. O recurso de voltar no tempo com a narração também foi um pouco exagerado, principalmente no final, além de ter deixado algumas pontas soltas.

Apesar desses aspectos negativos, o livro consegue nos surpreender com a participação bem contextualizada de vários seres fantásticos cujas participações são decisivas. Além de um final impressionante e revelador, ressaltando a última cena, que é de uma beleza comovente.

Assim sendo, Sete Dias de Lázaro é um romance que vale a pena. Se já na sua estreia, Luana Minéia mostrou tanta criatividade e talento para a escrita, podemos esperar muitos sucessos pela frente

Adicione este livro à sua estante!

sete dias de lázaro

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro e blogueiro. Apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, ser um profissional da área de exatas, porém manter sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.
  • Luana Minéia

    Mozer, agradeço a resenha!! Obrigada pela atenção e prometo que o próximo romance, que aliás já está em andamento, terá ainda mais surpresas. Você não irá se decepcionar!!!!

    • Que notícia boa! Fico nonagiardo e lerei com o maior prazer!