Resenha |  O Príncipe da Névoa

Resenha | O Príncipe da Névoa

Quem já leu A Sombra do Vento certamente conhece o talento ímpar de Carlos Ruiz Zafón. As histórias deste escritor espanhol são sempre recheadas de mistério e aventura em tramas muito bem entrelaçadas. Um exemplo disso pode ser encontrado em O Príncipe da Névoa (2013) do selo Suma de letras da Editora Objetiva. O livro conta a história de um garoto chamado Max Carver que muda com a sua família para um vilarejo no litoral em 1943 por decisão de seu pai, um relojeiro e inventor. Porém, a nova casa está cercada de mistérios. Entre eles, um jardim abandonado com estranhas estátuas e símbolos desconhecidos. Além disso, sua irmã Alicia tem sonhos perturbadores enquanto Irina ouve vozes vindas de um velho armário.

Além disso, ainda há o fato do protagonista ser muito curioso e atento a todos os sinais presentes de que há algo estranho acontecendo. Nesse ponto, vale ressaltar uma das fortes características da literatura de Zafón: a descrição. Não importa se é apenas um dia chuvoso ou um relógio peculiar, o escritor sempre te faz prestar atenção nas coisas mais comuns de modo diferente. Esse detalhe em particular cria um clima convidativo para que o leitor acompanhe sem piscar o desenvolvimento da investigação iniciada por Max que logo ganha como aliados sua irmã Alicia e Roland, seu mais novo amigo na cidade. Nesse sentido, acredito que não seja errado dizer que o surgimento desse trio dá um tom mais dinâmico para a história, o que contribui para uma trama em que passado e presente se relacionam de forma bem sutil.

Sobre o mistério em torno do príncipe do título, pode-se afirmar que ele vai se desenvolvendo lentamente como se fosse uma sombra tomando forma na escuridão. Tudo isso se deve ao fato dele ser capaz de conceder qualquer desejo de uma pessoa, assim como um gênio da lâmpada, mas que cobra em troca um preço demasiadamente alto. Essa imagem cria para seu leitor um cenário onde a realidade é facilmente questionada quando este ser sobrenatural vai ganhando força a medida que seu passado sombrio é revelado.

Pode-se dizer até que o livro trabalha com alguns aspectos de terror e fantasia devido a presença de elementos que fogem totalmente da realidade e certos acontecimentos de natureza sombria. E esse é apenas o começo já que o livro é a primeira parte da Trilogia da Névoa da qual fazem parte O Palácio da Meia Noite e As Luzes de Setembro, ambos publicados em 2013. Enfim, você não vai se decepcionar com essa obra caso esteja procurando um suspense de qualidade capaz de prender sua atenção e instigar ainda mais sua curiosidade até o final.

Conheça outros livros de Carlos Ruiz Zafón resenhados por nós:

Adicione este livro à sua estante!

o principe da nevoa

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida

Nossos Parceiros