Resenha | O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares
Editora Leya

Resenha | O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

Este é um daqueles livros que peguei para ler sem saber nada a respeito. Um título peculiar (com o perdão do trocadilho), um autor até então desconhecido e uma proposta narrativa diferente chamaram minha atenção logo de cara. Depois, descobri que se trata do livro de estreia de Ransom Riggs, que atualmente se encontra na lista dos mais vendidos, com direito a uma adaptação para o cinema, dirigida por Tim Burton.

A obra faz uma mistura de ficção com estranhas fotografias antigas e cria uma trama misteriosa, narrada em primeira pessoa por Jacob. Depois de uma grande perda, o garoto chega a uma pequena ilha no País de Gales para tentar encontrar respostas sobre o passado de seu avô. Lá, ele encontra as ruínas do orfanato da Srta. Peregrine e, vasculhando o lugar, comprova que seus antigos habitantes não eram pessoas comuns. Assim, Jacob precisa descobrir o que de fato aconteceu às crianças do orfanato e porque elas precisaram procurar abrigo em uma região tão remota.

À primeira vista, julgando pela sinopse e pela própria constituição do livro, parece se tratar de uma história de terror e suspense. Mas, apesar de esses gêneros marcarem presença em diversos momentos, na verdade também encontramos aventura, drama e comédia, tudo muito bem equilibrado e descrito de maneira simples e direta. Os diversos personagens também contribuem para isso, cada qual com sua peculiaridade e personalidade únicas.

A maior parte da narração se dá na ilha, contudo há muitos momentos referentes à época da Segunda Guerra Mundial, ao nazismo e às atrocidades das batalhas. Nesse ponto, a sensibilidade do autor se revela quando fantasia e realidade se misturam e jogam na nossa cara o nível de crueldade ao qual a humanidade pode chegar. Já em outras situações a batalha é interna, mais especificamente dentro da mente de Jacob, que luta para encontrar seu propósito e se convencer do que é real e do que não é.  

Junto a isso vêm as fotografias, todas em preto e branco. Na verdade, nenhuma delas faria falta caso fosse omitida, pois a narrativa em si é suficiente para sustentar a história e estimular a imaginação. Entretanto, a presença delas dá uma nova dimensão à obra, impactando e, muitas vezes, perturbando o leitor. Segundo Riggs, as fotos utilizadas são reais e foram cedidas por colecionadores, fato que, sozinho, já trás um novo olhar para o relato.

Desse modo, a aventura de Jacob vai se desenrolando até chegar ao ponto em que ele precisa se decidir sobre seu futuro. Parte das consequências ainda é visível neste livro, mas a decisão do garoto faz um gancho para o próximo volume, já que se trata de uma série de livros. Então podemos esperar por novas revelações e mais fotos intrigantes e misteriosas.

Logo, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares faz jus ao sucesso que está fazendo ao nos levar em uma trama envolvente e emocionante. Ao que tudo indica, Ransom Riggs tem um futuro promissor dentro da literatura fantástica. Além disso, é claro, fica a expectativa sobre a adaptação que está chegando.

Adicione esse título à sua biblioteca!

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.

Nossos Parceiros