Resenha | O Bicho-da-seda
Editora Rocco

Resenha | O Bicho-da-seda

A receita para um bom romance policial: um crime elaborado, uma lista com muitos suspeitos, fatos que não se conectam até o desfecho e um detetive carismático. Todos esses elementos podem ser encontrados em O Bichodaseda, segundo livro de Robert Galbraith que, na verdade, é o pseudônimo de J.K. Rowling, a autora de Harry Potter e Morte Súbita.

Novamente encontramos o detetive particular Cormoran Strike e sua assistente Robin Ellacot. Dessa vez, eles são contratados por Leonora, uma mulher de maneiras incomuns, que deseja apenas que o detetive encontre seu marido, Owen Quine, um excêntrico escritor, e o leve de volta para casa para ajudar a cuidar da filha com necessidades especiais. Porém, Strike descobre que Owen foi assassinado de maneira brutal após escrever seu último romance, no qual ele difama e ridiculariza várias pessoas com quem conviveu. E, para piorar, Leonora é a principal suspeita, segundo a polícia. Já Strike acredita na inocência da mulher e tem de usar toda sua inteligência para encontrar o verdadeiro assassino.

Assim, começa uma investigação meticulosa, como aquela que deu fama a Strike em O Chamado do Cuco. Contudo, vale ressaltar que a trama de O Bicho-da-seda é independente do primeiro livro de Galbraith, apesar de algumas referências que não comprometem o entendimento.

Porém, neste segundo livro, é possível sentir uma atmosfera muito mais pesada. A começar pela brutalidade do crime, descrito sem cerimônias. Apesar disso, tudo foi devidamente embasado, de forma que não se torna simplesmente violência gratuita. O lado emocional de todos os personagens envolvidos é exposto, mostrando o que a vaidade, a inveja e a mesquinhez são capazes de fazer a um ser humano.

Fora a investigação, outro ponto que torna o romance interessante é a vida pessoal de Strike e o estreitamento da relação entre ele e sua assistente. Agora, Robin luta para deixar de ser apenas uma ajudante e se tornar sua parceira, mesmo que isso cause alguns problemas no seu noivado. O destaque que ela ganha no desenrolar da trama a torna uma personagem ainda mais carismática e de fundamental importância para Strike, o qual ainda tem de lidar com questões do passado que o perseguem.

Por esses motivos, a receita seguida em O Bicho-da-seda, sem dúvida resultou em um ótimo romance policial, que consegue prender sua atenção sem subestimar sua inteligência e ainda lhe surpreender em seu desfecho.  

Leia também a resenha de O Chamado do Cuco!

Adicione este livro à sua estante!

o bicho da seda

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.

Nossos Parceiros