Resenha | Cemitérios de Dragões – Legado Ranger I

Resenha | Cemitérios de Dragões – Legado Ranger I

Se você viveu os anos 90 com toda a sua diversidade de animes e tokusatsus com certeza irá curtir Cemitérios de Dragões – Legado Ranger I, a nova série de livros de Raphael Draccon pelo selo Fantástica da Rocco. Mas, caso você seja um leitor nascido na era digital, este livro também irá lhe agradar. Com uma trama cheia de referências a produções como Power Rangers, Changeman, Comando Estelar Flashman e outros similares, o livro consegue não só homenagear essas séries como criar algo novo.

Tudo começa quando um grupo de cinco pessoas, de localidades diferentes, acaba surgindo aparentemente em uma dimensão paralela dominada por raças de dragões e seres diversos. Eles precisam compreender o motivo de estarem ali e combater um mal que talvez não possa ser impedido.

Para o leitor mais acostumado com esse tipo de história, pode parecer algo clichê e até certo ponto batido. No entanto, a qualidade da narrativa consegue cativar ao apresentar seus personagens individualmente até uni-los de forma harmoniosa. O mesmo pode ser dito a respeito das referências diretas e indiretas que são utilizadas de forma até equilibrada. Particularmente, acredito que as inspirações do autor vão além das produções japonesas, pois sinto certas semelhanças do conteúdo da história com desenhos como Caverna do Dragão e Thundercats, seja por causa da ambientação, caracterização de personagens ou situações curiosamente parecidas. No entanto, a leitura também pode ser bem aproveitada independente do conhecimento prévio destas produções tão populares para toda uma geração.

Uma prova disso está no fato de que se trata do inicio de uma nova saga, o que contribui para conquistar novos leitores. No entanto, mesmo com essa observação, vale ressaltar que este primeiro capitulo traz muitas informações novas ao mesmo tempo que desenvolve os personagens. E esse aspecto pode tornar a leitura confusa para algumas pessoas que precisam processar tudo o que está acontecendo. Por outro lado, há o fato de que ficam algumas pontas soltas para serem desenvolvidas nas próximas sequências. Portanto, a ideia de que tudo se encaixará posteriormente facilita o ritmo da leitura. Nesse sentido, vale destacar um recurso narrativo utilizado por Draccon que é a utilização de um personagem se comportando como um autêntico nerd em momentos pontuais de ação. Isso possibilita a identificação por parte do leitor ao mesmo tempo em que ele pode se sentir representado dentro da trama.

Enfim, Cemitérios de Dragões chega para ser uma nova e interessante opção no que diz respeito à aventuras em universos sombrios e modernos. Também é uma obra com várias facetas, pois é uma bela homenagem ao passado e o inicio de algo totalmente novo. De qualquer modo, não deixa de ser uma aventura de ótima qualidade capaz de dialogar com diferentes gerações de leitores.

Conheça outra obra de Raphael Draccon: Fios de Prata – Reconstruindo Sandman

Adicione este livro à sua estante!

cemiterios de dragoes

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida

Nossos Parceiros