Eventos | Lançamento do livro ‘Primeira Página – Conflito na Baiana’

Eventos | Lançamento do livro ‘Primeira Página – Conflito na Baiana’

No último domingo (23/04), nada mais nada menos que no Dia Internacional do Livro, aconteceu o lançamento de Primeira Página – Conflito na Baiana, do escritor estreante José Maurício Costa. O evento ocorreu no restaurante Birreria Escondido,CA, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, e contou com a presença de blogueiros para um bate-papo com o autor antes de uma sessão de autógrafos.

Apesar de o local parecer inusitado para um encontro literário, sua escolha tem um motivo especial. A intenção do escritor foi justamente ter uma conversa descontraída com os leitores, amigos (alguns deles escritores também, inclusive Cristina Pezel) e familiares, falando um pouco sobre seu primeiro romance policial. E, para isso, nada melhor do que um restaurante especializado em petiscos e choperia artesanal, com um clima agradável e informal onde as pessoas pudessem se sentir à vontade ao som do bom e velho Rock’n’roll.

Com todos reunidos, nosso anfitrião se apresentou: JM Costa é um jornalista com 25 anos de carreira dedicados a contar histórias reais do nosso dia a dia. Por 7 anos (de 2009 a 2016), foi o chefe de reportagem do jornal Extra. Depois de narrar diversos acontecimentos do cotidiano, ele resolveu finalmente criar sua própria história. Foi assim que, em 2015, baseado na sua vasta experiência, começou a escrever o thriller urbano Primeira Página. Com o intuito de conquistar leitores, em outubro de 2016 JM disponibilizou sua obra no Wattpad, onde sua versão digital pode ser lida gratuitamente. Daí em diante, o feedback do público foi fundamental, pois lhe deu confiança para enfim publicar o livro físico, o que ele fez através de sua própria editora. Assim, mais uma vez seus conhecimentos sobre como funciona o mercado editorial auxiliaram na sua autopublicação.

A obra em si conta como Clara Gabo, uma repórter do Diário Carioca, recebe um telefonema desesperado de uma garotinha de 9 anos do Morro da Baiana. Do outro lado da linha, a menina relata, ao vivo, uma cena de crime na qual a vítima é a própria mãe. Assim, Clara se dispõe a ajudar sua pequena interlocutora, mesmo que para isso precise por sua vida em risco. Conforme ela avança com a reportagem e a publica na primeira página do jornal, uma série de fatos comprometedores para o Estado são revelados, ameaçando acabar com sua curta carreira jornalística.

Pela sinopse, podemos notar que a trama é pautada em acontecimentos que infelizmente são corriqueiros na vida urbana. Porém,  o próprio autor garantiu que esta história é totalmente fictícia, mesmo que muitos elementos e situações sejam comuns à nossa realidade. Além dessa similaridade, JM afirma que a protagonista tem muito dele, não só a profissão, mas também características e traços de sua personalidade.

A classificação ‘thriller urbano’ é atribuída pelo próprio José Maurício, o qual citou Stephen King durante a conversa, pois gosta do modo como o suspense criado pelo autor flui. Em Primeira Página, a narrativa é ágil, com capítulos curtos e ritmo acelerado. Aliado a isso, a obra utiliza recursos para ampliar a experiência de leitura, incluindo um QR Code que dá acesso à ligação que Clara recebe da menina. Por último, apesar de ser uma história fechada – com início, meio e fim – o livro permite tramas posteriores.

Como já foi dito aqui, o objetivo de JM é conseguir leitores para sua publicação. Tanto que, até o momento, os exemplares não estão à venda em livrarias e nem na Amazon. Assim, quem tiver interesse em adquiri-lo, basta acessar a fanpage ou o site do escritor. Outra possibilidade é comprá-lo nos eventos onde o autor comparecerá futuramente.

E foi dessa forma leve e irreverente que ocorreu o lançamento de Primeira Página – Conflito na Baiana, que tem tudo para ser um grande sucesso. O ambiente, os convidados e a solicitude de JM Costa em responder e dar atenção a todos tornaram a noite muito produtiva e marcaram o início de uma promissora carreira literária.

Confiram as fotos do evento!

Conheçam mais sobre o trabalho do autor e adquiram seu livro:

Local do evento:

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias

Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.