Cinema | Mulher-Maravilha (2009) | Crítica

Cinema | Mulher-Maravilha (2009) | Crítica

Uma coisa os leitores de quadrinhos da DC Comics dificilmente podem reclamar: as animações. Com uma quantidade considerável de acertos, esse tipo de adaptação sempre se mostrou como um produto de qualidade. E com a heroína mais icônica das HQs não seria diferente. No longa animado, temos a oportunidade de conhecer a história de origem da Mulher-Maravilha. Filha da rainha Hipólita, ela treinou durante toda a sua vida na lendária ilha de Themyscira para se tornar uma guerreira. Após a chegada  acidental de Steve Trevor à ilha e da recente fuga do Deus da Guerra, Ares, ela vê a oportunidade de finalmente testar suas habilidades de combate.

Um dos fatores mais positivos em relação à esse tipo de adaptação está nas cenas de ação. Cada cena de luta tem sua dose de violência. É o caso da sequência inicial da luta das amazonas contra o exército de Ares. Trata-se de um ótimo exemplo de como apresentar o vilão e o contexto dos personagens com objetividade. E isso é mais do que necessário para um longa com uma duração de apenas 1 hora e 14 minutos. Logo de cara entendemos a relação de Hipólita com Ares e a motivação por trás das ações do vilão da Mulher-Maravilha.

Mas antes da trama principal ganhar forma há espaço para o desenvolvimento da relação entre ela e Steve Trevor. É graças as cenas entre eles que temos os melhores momentos cômicos na animação. Mesmo com o choque cultural/ideológico, o roteiro trabalha o carisma de cada com sutileza. Por conta desse detalhe, descobrimos outras facetas desses personagens. Nesse sentido, o que fica bem marcado é como os diálogos de ambos evidenciam visões diferentes das relações entre homens e mulheres na sociedade.

Enfim, se você ainda não viu a versão dos cinemas fica a dica para assistir esta animação como um aquecimento.

Ficha Técnica:

  • Data de lançamento 2009 (1h 14min)
  • Direção: Lauren Montgomery
  • Roteiro: Gail Simone, Michael Jelenic
  • Elenco de dubladores: Keri Russell (Mulher-Maravilha), Nathan Fillion (Steve Trevor), Alfred Molina (Hades), entre outros.

Trailer:

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida

Nossos Parceiros