Cinema | Guardiões da Galáxia Vol.1 (2014) | Crítica

Cinema | Guardiões da Galáxia Vol.1 (2014) | Crítica

Aproveitando a estreia de Guardiões da Galáxia Vol. 2, resolvi rever o primeiro volume e compartilhar minhas impressões. Nesse sentido, vale lembrar que em 2014, basicamente ninguém acreditava que uma adaptação de Guardiões da Galáxia funcionaria nos cinemas. Seria possível contar uma história interessante com um grupo de heróis renegados que tem um guaxinim e uma árvore falante como integrantes? Talvez. Isso sem contar o fato de todo o grupo de personagens pertencer ao universo cósmico da Marvel, algo que até aquele ano ainda não havia sido explorado no Universo Cinematográfico do estúdio. Felizmente, o resultado foi incrivelmente positivo. Muito disso se deve ao talento de James Gunn, responsável tanto pela direção como pelo roteiro do filme ao lado de Nicole Perlman.

Na trama, somos apresentados à Peter Quill (Chris Pratt), que quando criança foi abduzido da Terra por um grupo de mercenários. Com o passar dos anos, fez carreira como saqueador e se autoproclamou Starlord (Senhor das Estrelas). Quando rouba uma esfera, na qual Ronan, da raça kree, está interessado, passa a ser procurado por vários caçadores de recompensas. Ele une forças com quatro seres de diferentes raças que vivem fora do sistema. São eles: Groot, uma árvore humanoide (Vin Diesel), a sombria e perigosa Gamora (Zoe Saldana), o guaxinim rápido no gatilho Rocket Racoon (Bradley Cooper) e o vingativo Drax, o Destruidor (Dave Bautista). Juntos, descobrem que a esfera roubada possui um poder capaz de mudar os rumos do universo, e logo o grupo deverá proteger o objeto para salvar o futuro da galáxia.

Com base nisso, é certo afirmar que se trata de mais uma história de anti-heróis. Também pode-se dizer que é a utilização de uma fórmula já conhecida. Nesse caso, não há problema algum se aproveitar de ideias já utilizadas, pois o que diferencia Guardiões da Galáxia Vol. 1 é justamente o modo como elas são executadas. O primeiro exemplo disso é como James Gunn soube trabalhar a trilha sonora como um elemento totalmente funcional na trama. É praticamente um personagem a mais no elenco tornando a aventura cada vez mais divertida. Com a seleção Awesome Mix Vol. 1 recheada de sucessos dos anos 70, alguns totalmente desconhecidos do grande público, temos o elemento que dá o tom certo ao filme.

Sobre isso, é importante destacar no modo como a música casa perfeitamente com um elemento da fórmula dos filmes da Marvel: o humor. Desde Homem de Ferro (2008), estamos acostumados com produções em que isso têm uma presença forte e bem utilizada, mas que em alguns casos acaba sendo prejudicial no resultado final. É como se houvesse um desgaste da mesma. Porém, em Guardiões da Galáxia Vol. 1, isso não atrapalha a experiência do público. Pelo contrário, desde a cena inicial com Starlord dançando no espaço ao som de “Come And Get Your Love“, do Redbone, já dava para perceber que se tratava de algo diferenciado.

Outro ponto que diferencia este filme é a forma como roteiro consegue reunir os personagens. Por exemplo, em Vingadores (2012), foi necessário todo um planejamento envolvendo os filmes de cada personagem. Afinal, cada herói que integra aquele grupo precisava ter o seu background devidamente construído. Já em Guardiões, nós precisamos das informações estritamente necessárias para o andamento da trama. Claro que a história individual de cada personagem é interessante e mereceria uma oportunidade de ser melhor desenvolvida. Mas ao tratar apenas as informações essenciais de cada Guardião, James Gunn nos poupa tempo e parte logo para o que interessa: a ação. Nesse quesito, os efeitos especiais estão ótimos.

Infelizmente, não é uma produção 100% livre de falhas. Apesar de todos os pontos positivos já destacados, o filme perde com a evidente necessidade do estúdio de criar conexões com outros filmes. É aquela “gordurinha” desnecessária que Kevin Feige (responsável por grande parte o planejamento deste Universo Cinematográfico) insiste em colocar para que haja sempre uma coesão entre as produções do estúdio. O maior exemplo disso é a presença de Thanos que pouco acrescenta a trama de modo geral e só serve para lembrar do encerramento da Fase 3 com Vingadores 4 (2019). Sua presença poderia muito bem ser apenas uma citação do que uma participação especial de pouca importância.

Enfim, se você procura um exemplo de diversão de qualidade certamente Guardiões da Galáxia Vol. 1 não vai te decepcionar. E provavelmente o mesmo poderá ser dito de sua sequência.

Ficha técnica:

  • Lançamento: 31 de julho de 2014 ;
  • Duração: 2h01min;
  • Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Lee Pace, Karen Gillan, John C. Reilly, Michael Rooker, Vin Diesel, Bradley Cooper, Josh Brolin, entre outros.
  • Direção : James Gunn
  • Roteiro : James Gunn e Nicole Perlman

Assista ao trailer:

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida

Nossos Parceiros