Capa » Cinema » Cinema | Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica | Crítica COM SPOILERS
Cinema |  Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica  | Crítica COM SPOILERS

Cinema | Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica | Crítica COM SPOILERS

Nos anos 80, uma dupla de adolescentes roqueiros aprontava altas confusões enquanto viajava pelo tempo em uma cabine telefônica. Isso é tudo o que você precisa saber para curtir Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica, o primeiro capítulo desta aventura cinematográfica que marcou época pela comédia e aventura descompromissada e que em breve ganhará um terceiro filme.

Tudo começa quando Bill (Alex Winter) e Ted (Keanu Reeves) descobrem que podem ser reprovados em História. Para impedir que isso aconteça, Rufus (George Carlin), um misterioso homem vindo do futuro oferece ajuda a eles com a oportunidade de viajar ao passado e conhecer diversas personalidades históricas que ajudam no trabalho final.

Para início de conversa, não há como falar sobre Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica sem antes fazer um comparativo óbvio com Doctor Who. Afinal de contas, trata-se de uma história na qual os protagonistas viajam diversas vezes ao passado; conhecem e interagem com personalidades históricas e usam uma cabine telefônica como meio de transporte temporal. Mesmo com alguns pequenos detalhes nesses quesitos que diferenciam a produção americana da série britânica, o maior ponto que separa ambos está no propósito e sentido narrativo. 

Com esses “pingos nos is” colocados, vamos ao que realmente interessa: a diversão. Esse é o único caminho pelo qual devemos assistir o filme para aproveitá-lo ao máximo. Seguindo esse raciocínio, o primeiro ponto a ser ressaltado está no carisma da dupla enquanto interage com grandes nomes da história mundial. Desse modo, até esquecemos de preciosas regras da viagem no tempo como não interferir em eventos do passado. Isso porque a história pede justamente por isso já que aos poucos vemos como Sócrates (Tony Steedman), Billy The Kid (Dan Shor), Joana D´Arc (Jane Wiedlin), Freud (Rod Loomis), Gensis Khan (Al Leong), entre outros coexistem no mesmo espaço sem briga ou qualquer questionamento.  

Apesar da aparente falta de sentido geral, o roteiro ainda encontra oportunidade para fazer uma brincadeira ou outra com paradoxos. O mais curioso é como isso consegue ser feito de forma simples e ao mesmo tempo inteligente, algo que de certa forma serve para tornar tudo mais fácil para qualquer tipo de público entender um conceito como esse. Esse é o caso do encontro com os sósias e da sequência na delegacia, por exemplo.

bill e ted paradoxo

Para finalizar, é necessário um comentário sobre o resultado final de Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica. Não há como negar que o primeiro capítulo dessa história ainda continua legal e sem compromisso com qualquer seriedade. Essa é na verdade a definição de uma produção honesta que, infelizmente, anda em falta hoje em dia. Talvez por isso a expectativa em relação ao lançamento de Bill & Ted: Encare a Música, previsto para o final de agosto de 2020, seja tão grande.

Ficha técnica:

  • Data de lançamento: 4 de maio de 1989 (Brasil)
  • Duração: 1h30min
  • Gênero:  comédia
  • Direção: Stephen Herek
  • Roteiro: Chris Matheson, Ed Solomon
  • Elenco: Keanu Reeves (Ted Logan), Alex Winter (Bill Preston), George Carlin (Rufus), entre outros.

Assista ao trailer:

Conteúdo relacionado:

Leia mais sobre Doctor Who

Artigo “A ciência por trás das histórias sobre viagem no tempo”

 

Sobre Marcus Alencar

Avatar
Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida