Cinema | Capitão América – O Soldado Invernal (2014) | Crítica

Cinema | Capitão América – O Soldado Invernal (2014) | Crítica

Ao longo desses 10 anos, a Marvel nos presenteou com diversas adaptações de tirar o fôlego. Uma das principais está na sua segunda fase: Capitão América – O Soldado Invernal (2014). A qualidade desta obra não está só nas ótimas cenas de ação, mas também na sua importância para o futuro dos Vingadores no cinema.

Dois anos após a batalha de Nova York em Os Vingadores (2012), o Capitão América (Chris Evans) segue servindo à S.H.I.E.L.D. enquanto tenta se habituar a sua nova vida depois de ser descongelado. Ainda que repleto de desconfianças com relação às intenções da agência liderada por Nick Fury (Samuel L. Jackson), ele se une à Viúva Negra (Scarlett Johansson) para enfrentar a ameaça do Soldado Invernal e impedir um plano terrível.

Mesmo com as piadas sobre referências em Vingadores, não houve tempo hábil para explorar a readaptação de Steve Rogers à sociedade. Por esse motivo, Capitão 2 é o primeiro longa focado em sua atuação no tempo presente. Isso resulta em momentos divertidos enquanto ele tenta se atualizar, usando até mesmo um caderninho cheio de recomendações. Por outro lado, também reflete o estado de espírito de Rogers em conflito com as mudanças ao seu redor, seja a perda dos antigos amigos ou o ideal patriótico duvidoso dos governantes do país.

Entretanto, independentemente de todos esses dilemas, encontramos Steve no auge de sua forma física, como fica claro em duas cenas logo no início da produção. Tanto sua força como agilidade estão melhores do que nunca, fazendo com que ele seja praticamente um exército de um homem só que, ainda assim, mantém sua característica de liderança e trabalho em equipe.

Inclusive, cooperação não faltou neste filme. O destaque vai para a Viúva Negra, que se mostrou fundamental para o desenvolvimento do protagonista na luta contra seu rival. Quem também teve sua introdução foi o Falcão (Anthony Mackie), o qual foi muito bem utilizado dentro da trama e cumpriu bem o seu papel de conquistar a simpatia dos fãs para as produções vindouras. Contudo, o personagem que mostra que não está para brincadeira é Nick Fury. Agora podemos vê-lo em ação lutando pela própria vida e pelo futuro da S.H.I.E.L.D. e não apenas coordenando tudo dos bastidores.

Já a interação entre Steve Rogers e o Soldado Invernal é a chave para o futuro da franquia e da Marvel nos cinemas. As consequências do desfecho terão reflexo em Guerra Civil e, dali em diante, em toda a equipe dos Vingadores até chegarmos em Guerra Infinita. Sendo assim, fica nítida a importância Capitão América – O Soldado Invernal para todas as fases do UCM, o que faz dele um filme espetacular.

Ficha técnica:

  • Data de lançamento: 10 de Abril de 2014
  • Duração: 2h17min
  • Direção: Anthony Russo e Joe Russo
  • Gênero: ação, aventura, filmes de super-heróis
  • Elenco: Chris Evans, Scarlett Johansson, Samuel L. Jackson, Anthony Mackie

Assista ao trailer:

Leia mais sobre:

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.