Capa » Cinema e TV » Séries | Doctor Who 12×7: Can You Hear Me? | Review
Séries | Doctor Who 12×7: Can You Hear Me? | Review

Séries | Doctor Who 12×7: Can You Hear Me? | Review

[SPOILERS] Can You Hear Me?, o sétimo episódio da nova temporada de Doctor Who, começa com um clima sombrio que faz muitas promessas, mas não cumpre nenhuma. Com um roteiro fraco e incoerente assinado por Charlene James e Chris Chibnall, a nova aventura do time Tardis decepciona quem esperava por algo grandioso.

Quando os companions se separam da Doutora (Jodie Whittaker) em Sheffield, já podemos perceber uma atmosfera pesada. A ausência prolongada devido às viagens através do espaço-tempo lhes causa a impressão de que as coisas não são mais as mesmas. Enquanto isso, a Doc é atraída para Alepo, na Síria de 1380 e encontra Tahira (Aruhan Galieva) se escondendo de uma criatura medonha. Porém, o grupo é obrigado a se reunir antes do previsto graças a aparição de Zellin (Ian Gelder) e Rakaya (Clair-Hope Ashitey), dois seres supostamente divinos que se alimentam dos medos das pessoas.

doctor who 12x7 can you hear me companios

A premissa desse episódio pode ser relacionada a duas obras da literatura nacional contemporânea que já foram comentadas aqui no Leituraverso. A primeira delas é Fios de Prata, do escritor Raphael Draccon, na qual a existência dos deuses depende dos sonhos da raça humana. A outra é Cativeiro do Medo, de Waldir L. Santos, onde uma criatura sobrenatural se alimenta dos pesadelos e da dor dos indivíduos. Can You Hear Me? se arrisca nessa ideia, mas a explora de forma superficial e simplória (os dedos voadores nos ouvidos não caíram bem).

doctor who 12x7 can you hear me zellin

Apesar de toda a mitologia envolvendo Zellin e Rakaya ser criativa, a origem dos dois é contada de maneira apressada. A julgar pelo caráter divino dos personagens, eles deveriam ser inimigos difíceis de serem detidos até mesmo pela Doutora, mas acabam sendo derrotados facilmente, sem nenhum clímax para dar mais emoção. Nem mesmo a mensagem de que as pessoas conseguem superar e controlar seus medos é suficiente para salvar a narrativa.

O que se pode aproveitar da trama são os medos dos companions e da própria Doutora, pois eles terão reflexos futuramente. A Doc ainda sonha com a Criança Atemporal que será abordada na season finale. O pesadelo de Yas (Mandip Gill) revela um pouco mais sobre o passado da policial, que aparentemente tentou abandonar a família há alguns anos. Já a visão de Ryan (Tosin Cole) deixa claro que ele teme se ausentar da Terra por tempo demais e, quando voltar, ter perdido seus amigos, visto que ele aproveita a oportunidade para incentivar Tibo (Buom Tihngang) a procurar ajuda e falar sobre seus sentimentos, coisa rara entre homens. Esse receio do companion pode servir como justificativa para a saída de Tosin Cole do seriado já que ele irá protagonizar outro programa.

Entretanto, o temor de Graham (Bradlay Walsh) gera o momento mais decepcionante do episódio. Em um instante de total sinceridade, quando ele está se abrindo sobre o medo de o câncer retornar e esperando uma resposta que o console, a Doutora simplesmente não sabe o que dizer. Isso não condiz com a natureza da personagem, que sempre teve o dom de inspirar as pessoas com suas palavras e reconfortar os amigos quando eles mais precisam. Até um casamento ela realizou em Demons of The Punjab (11×6), então a desculpa de ser “desajeitada socialmente” nunca a tornou indiferente em uma situação como essa.

doctor who 12x7 can you hear me graham

Por esse motivo em especial e também por todos os outros é que Can You Hear Me? é um capítulo a se esquecer na história de Doctor Who e no currículo da 13ª regeneração do Doutor. Tudo isso graças a um roteiro que não sabe respeitar a essência da protagonista e entrega um enredo mal contado e preguiçoso.

Ficha Técnica:

  •  Episódio: 12×07 – Can You Hear Me?
  •  Data de exibição: 13 de março de 2020
  •  Roteiro: Charlene James e Chris Chibnall
  •  Direção: Emma Sullivan
  • Duração: 49 minutos
  • Elenco: Jodie Whittaker (Décima terceira Doutora), Bradley Walsh (Graham O’Brien), Tosin Cole (Ryan Sinclair), Mandip Gill (Yasmin Khan).
  • Elenco convidado: Aruhan Galieva (Tahira), Ian Gelder (Zellin), Buom Tihngang (Tibo), Clare-Hope Ashitey (Rakaya), Sharon D. Clarke (Grace O’Brien), Bhavnisha Parmar (Sonya Khan), Sirine Saba (Maryam), Nasreen Hussain (Anita Patel), Everal A Walsh (Gabriel), entre outros.

Assista ao trailer:

Conteúdo relacionado:

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.