Capa » Cinema e TV » Séries | Doctor Who 11×4: Arachnids in The UK | Review
Séries | Doctor Who 11×4: Arachnids in The UK | Review

Séries | Doctor Who 11×4: Arachnids in The UK | Review

[SPOILERS] Quem tem medo de aranhas no mínimo se sentiu angustiado ao assistir ao quarto episódio da 11ª temporada de Doctor Who. Arachnids in the UK prende nossa atenção ao apresentar uma aventura no estilo clássico da ficção científica enquanto estreita os laços entre a Doutora (Jodie Whittaker) e seus novos companions.

Depois que a Doctor finalmente consegue trazer seus amigos de volta para casa, eles descobrem que Sheffield está infestada de aranhas gigantes que foram modificadas geneticamente. Enquanto isso, a mãe de Yasmin, Najia (Shobna Gulati), está no hotel que serve como epicentro da atividade dos aracnídeos. Porém, o dono do estabelecimento, o arrogante e grosseiro Jack Robertson (Chris Noth), está relutante em ajudar pois esconde um segredo no interior do prédio.

Aranhas que sofrem mutação genética devido ao lixo tóxico ou experiências que deram errado não são algo inédito na ficção, mas para Doctor Who é algo que foge do esperado por não apresentar nenhuma interferência alienígena para que isso tenha acontecido. A ameaça dessa vez não vem de fora, mas foi criada na própria Terra, onde o agente destrutivo foi (mais uma vez) a ganância humana. Por isso o roteiro deixa claro que as aranhas não são as vilãs, já que também estão confusas e só querem voltar para o seu habitat.

Mesmo que tenha sido uma trama interessante, ela sozinha não teria conseguido sustentar o episódio do começo ao fim. O desenvolvimento dos personagens também contribuiu para manter a qualidade. O primeiro detalhe que percebemos nesse sentido é a Doctor lidando com os novos controles da TARDIS e o visual atualizado do vórtice temporal. Depois somos apresentados aos outros membros da família de Yas (Mandip Gill), que provavelmente ainda veremos nessa temporada. Mas o que merece destaque é o peso da ausência de Grace (Sharon D. Clarke, que reaparece rapidamente na série) quando Graham (Bradley Walsh) e Ryan (Tosin Cole) voltam para casa. Isso acaba por aproximar ainda mais os dois, além de ser um dos motivos que os levaram a continuar na companhia da Doutora. Entretanto, permanece a dúvida sobre o aparecimento, ou não, do pai de Ryan e como isso terá influência sobre eles.

Além dos protagonistas, uma figura que atrai olhares é o empresário Jack Robertson, que serve como um elemento de crítica social. Isso é frequente no programa sob a forma de pessoas gananciosas, egoístas e de caráter duvidoso. No caso de Robertson, sua ambição é se tornar presidente dos EUA nas eleições de 2020 e, por mais que ele se assemelhe a Donald Trump (que tentará a reeleição), não gosta de ser associado a ele. Contudo, o homem diz coisas como “Por que não fazem como pessoas normais? Peguem uma arma e atirem feito uma pessoa civilizada!” Nesse momento, provavelmente, muitos espectadores o relacionaram ao nosso próprio contexto político atual.

E o capítulo não estaria completo se não houvesse momentos divertidos como a menção a Ed Sheeran (futuro presidente norte-americano???) ou então a solução musical que Ryan oferece para atrair as aranhas ao quarto do pânico. Há ainda a revelação sobre a existência de uma irmã no passado da Doutora e uma referência à piloto americana Amelia Earhart, a primeira mulher a voar sozinha sobre o Oceano Atlântico. Ela também já foi referenciada na série clássica com o Quinto Doutor e em um episódio de Torchwood.

Resumindo, Arachnids in the UK oferece uma trama típica de ficção científica enquanto solidifica as relações entre os personagens centrais e faz críticas pertinentes ao mostrar a cobiça dos seres humanos. Sem contar que Ryan, Yas e Graham decidem prosseguir viajando com a Doctor oficializando de uma vez por todas o novo time da TARDIS.

Ficha técnica:

  • Episódio: 11×4: Arachnids in the UK
  • Data de exibição: 28 de outubro de 2018
  • Roteiro: Chris Chibnall
  • Direção: Sallie Aprahamian
  • Duração: 49 minutos
  • Elenco: Jodie Whittaker (Décima terceira Doutora), Bradley Walsh (Graham O’Brien), Tosin Cole (Ryan Sinclair), Mandip Gill (Yasmin Khan)
  • Elenco convidado: Chris Noth (Jack Robertson), Sharon D. Clarke (Grace O’Brien), Shobna Gulati (Najia Khan), Tanya Fear (Dra. Jade McIntyre), Ravin J. Ganatra (Hakim Khan), Bhavnisha Parmar (Sonya Khan), Jaleh Alp (Frankie Ellish), William Meredith (Kevin)

Assista ao trailer:

Veja o nosso review sobre os episódios anteriores

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.