Séries | Breaking Bad (2008 a 2013)

Séries | Breaking Bad (2008 a 2013)

Apesar de ter sido concluída em 2013, esta é uma série tão conceituada e premiada que é vista até hoje. Já houve boatos de um retorno que logo foi refutado pelo próprio elenco e, mais recentemente, uma teoria afirmando que a criação de Vince Gilligan na verdade seria a gênese de The Walking Dead, ambas produzias pela AMC. Mas seja como for, Breaking Bad já se tornou um marco na cultura pop – chegando a ser exibida na TV aberta com o infame subtítulo A química do mal (wtf??) –  por isso nunca é tarde para falarmos sobre ela.

A trama vencedora de diversos Emmy (incluindo melhor ator, roteiro e série dramática) nos mostra a trajetória de Walter White (Bryan Cranston), um frustrado professor de química do Novo México, que descobre ter câncer de pulmão em estágio avançado. Temendo pelo futuro da esposa grávida (Anna Gunn) e de seu filho com paralisia cerebral (RJ Mitte), Walter toma uma decisão extrema: usar seus conhecimentos como químico para produzir metanfetamina e deixar uma boa quantia em dinheiro para a família. Contando com a ajuda de seu ex-aluno, o viciado Jesse Pinkman (Aaron Paul), ele passa a fabricar e vender a droga até que a situação atinge grandes proporções.

walter breaking bad

Primeiro de tudo, o que fez dessa produção um fenômeno foi o brilhante roteiro. É algo aparentemente simples, mas cheio de nuances que tornam tudo mais subjetivo. Pela lógica, produzir e vender uma droga que causa forte dependência seria algo imediatamente condenável. Porém, o protagonista é um simples professor que nunca teve contato direto com esse mundo sombrio e entrou nele por puro desespero e necessidade. Walter é quase uma criança aprendendo a caminhar nos primeiros episódios. Mas, como é de se esperar, depois que aprende ele começa a correr, contornando obstáculos, derrubando-os se for preciso e também caindo algumas vezes, claro.

Entretanto, isso por si só não o isenta de culpa. Essa dualidade nos mostra quão surpreendentes e imprevisíveis podem ser as pessoas, tomando atitudes que nunca imaginaríamos, sejam por questões de sobrevivência ou mesmo cobiça. A trilha de White é um exemplo claro do que a ganância e a sede de poder podem fazer a um indivíduo, trazendo consigo aquele velho questionamento sobre os fins justificarem os meios.

Logo, para uma figura tão instigante e contraditória, com certeza é preciso um ator que dê conta do recado. E ninguém teria feito o trabalho melhor do que Bryan Canstron. Ele deu vida a Mr. White – ou Heisenberg, como era conhecido seu alter ego – de tal forma que fica impossível não associar seu nome à imagem do personagem, o qual ele conduziu o ao longo de cinco temporadas, interpretando de forma impressionante os altos e baixos do químico. Indo desde o servil cozinheiro de meta, que por vezes chegava a dar nos nervos, até o dono da situação, Walter era uma bomba relógio prestes a explodir (e explodir a cabeça dos espectadores consigo).

walter-white-heisenberg

Mas, para dar os devidos créditos, Cranston não foi o único que fez uma atuação de primeira. Aaron Paul também surpreendeu a todos encarnando o viciado Jesse Pinkman, chegando mesmo a ganhar o Emmy de melhor ator coadjuvante em 2014. Pinkman é um papel tão forte que caiu nas graças dos telespectadores. Com uma personalidade instável, há momentos em que o odiamos e há muitos outros em que simplesmente o amamos, principalmente por sua lealdade. Junto com o Sr. White, eles travam uma relação conturbada de pai e filho, com uma cumplicidade crescente que lhes causa muitos problemas, mas também lhes fornece a solução para estes.

walter-white-jesse-pinkman

Como nada é perfeito, a série possui alguns defeitos, como suas personagens femininas, as irmãs Skyler e Marie, interpretadas respectivamente por Anna Gunn e Batsy Brandt. Nem o talento das atrizes impôs carisma à dupla, que serve apenas para ser irritante e frustrante (broxante, a palavra é essa). Outro ponto negativo é a quarta temporada em si que, apesar de fundamental para a trama, poderia ter sido mais objetiva e empolgante. O que compensa isso é o fato de a quinta temporada ser eletrizante do começo ao fim.

Para encerrar, a produção gerou uma série derivada, centrada em um personagem muito querido pelo público: Saul Goodman, interpretado por Bob Odenkirk. Better Call Saul também foi criada por Vince Gilligan e já contou com a participação de algumas figuras marcantes de Breaking Bad. Atualmente, ela se encontra na segunda temporada.

Muito ainda poderia ser dito sobre está obra incrível, mas para não estragar as surpresas, é melhor pararmos por aqui. Breaking Bad está na lista de melhores séries já criadas e não são poucos os que afirmam isso. Sendo assim, assisti-la é garantia de diversão e variados sentimentos, sobretudo o de satisfação com seu desenrolar e sua conclusão.

Assista ao trailer da primeira temporada!

Sobre Mozer Dias

Mozer Dias
Engenheiro civil, resenhista e podcaster. Sou apaixonado pela exatidão dos números e pela subjetividade das palavras. Penso que qualquer pessoa pode se aventurar por esses dois mundos, até porque foram as palavras que me apresentaram aos números e daí nasceu essa relação singular. O primeiro livro que li foi “O Homem que Calculava”, do autor Malba Tahan, que narra história de Beremiz Samir, um árabe com um dom inacreditável para a matemática e uma sabedoria que transcendia a mera racionalidade fria e impessoal. Sendo assim, é esse equilíbrio que busco para minha própria vida: fazer poesia com números e letras, mantendo sempre o coração aberto para a subjetividade que há nas entrelinhas e extrair disso o melhor que eu puder.
  • Eduarda Lima

    Só posso dizer que suas impressões são muito parecidas com as minhas. Tirando as personagens femininas, que sim, são irritantes mas tenho certeza que cumpriram o objetivo do papel kk. Essa série é maravilhosa, as atuações principais são fantásticas. A construção das personagens e a evolução da história.. uma das melhores séries que eu já vi. Parabéns pela resenha!!

    • Obrigado, Duda!
      Formulei minha opinião bka parte graças a nossas conversas animadas sobre a série, então te devo essa hahaha. Por todos esses motivos fica claro porque essa série é tão elogiada e premiada.
      Beijo!

  • Gostei da leitura! Sou fã incondicional da série por vários motivos, e destes o que mais me chama a atenção é realmente a construção do personagem. Vc entra nesse mundo das drogas inexperiente (espero que sim rsrs) assim como o Mr. White e com o passar da historia vc entende cada vez mais o mundo, e compreende a transformação do pacato professor de quiímica no Mega Boss Drug Dealer Heisenberg!!

Nossos Parceiros