Capa » Cinema e TV » Séries | Doctor Who 11×2: The Ghost Monument | Review
Séries | Doctor Who 11×2: The Ghost Monument | Review

Séries | Doctor Who 11×2: The Ghost Monument | Review

[SPOILERS] Após um início promissor com The Woman Who Fell to Earth, chegou a hora de descobrir se o novo episódio manteve o nível de qualidade. The Ghost Monument faz exatamente isso em uma aventura espacial que desenvolve ainda mais a nova fase de Doctor Who. O episódio começa com um senso de urgência deixando-nos apreensivos sobre o que virá a seguir. Tudo porque a 13ª Doutora e seus amigos acabam envolvidos na etapa final do último rali das 12 galáxias, uma corrida na qual participam Angstrom (Susan Lynch) e Epzo (Shaun Dooley). Nesse contexto, estão Ryan e Graham que foram resgatados por Epzo, enquanto a Doctor e Yasmin estão com Angstrom. Ambos precisam chegar à “Desolação”, um planeta alienígena com um ambiente misterioso e hostil. Lá, precisarão enfrentar as adversidades  para chegar ao local marcado como Monumento Fantasma.

Esta separação é breve e logos vemos todos reunidos. É interessante ver como funciona a dinâmica entre esses personagens. Com poucos minutos, logo percebemos que muitas questões familiares serão abordadas durante uma história que teria tudo para se tornar clichê em Doctor Who. Afinal de contas, não é a primeira vez que o timelord (agora timelady) se perde no espaço com seus companions. A grande jogada está justamente em como contar isso de forma atrativa, algo que o roteiro de Chris Chibnall acerta com facilidade.

Um exemplo disso é quando descobrimos que o monumento fantasma é a TARDIS. Sabendo que a clássica nave é o objetivo final desta corrida, o roteiro resolve deixar esta questão de lado e foca na jornada do grupo. Desse modo, há a oportunidade de aprofundar algumas relações e estabelecer vínculos. Yasmim e Angstrom tem questões a serem resolvidas quando o assunto é família. Enquanto uma tem assuntos pendentes com a sua, a outra disputa uma corrida perigosa para salvar seus familiares de serem dizimados em outro planeta. Já Ryan e Graham ficam no meio-termo entre uma relação amigável de avó e neto.

No meio disso tudo, a 13 º Doutora busca provar que o valor está na união. Este detalhe fica pontuado em alguns momentos importantes, seja quando o grupo está conhecendo melhor os dois viajantes, ou próximo do final do episódio quando a TARDIS é finalmente encontrada. Mesmo quando a Doutora avisa que seus companions serão levados para a casa fica claro que esta aventura será a primeira de muitas viagens pelo tempo e espaço. Algo que vale o destaque é como eles a alertam sobre a importância de manter acesa a chama da esperança. É quase uma referência à um dos momentos finais do especial de 50 anos. “Sem isso, não teremos nada”, diz um dos comandantes de Gallifrey. “Não, você tem esperança”, enfatiza o 11º Doutor (Matt Smith).

Aliás, quando o assunto é esperança não há como deixar de lado a apresentação da nova TARDIS.  Depois de um breve suspense, ela chega com seu característico barulho para mostrar que nem tudo está perdido e que sempre haverá um motivo para continuar lutando.  É emocionante o reencontro da Doutora com sua nave que agora conta com vários detalhes interessantes como, por exemplo, um biscoito instantâneo. 

Por último, fica uma observação sobre os Stenza (inimigos apresentados no episódio anterior) que em The Ghost Monument são citados. Obviamente, assim como tudo em Doctor Who, sabemos que esta referência não foi gratuita. Por este motivo, não será surpresa se reencontramos os monstros caçadores de recompensa em uma nova aventura. A dúvida é sobre a importância deles em um quadro maior. Seriam eles os grandes vilões da temporada? Caso isto se confirme, o showrunner Chris Chibnall estará recorrendo à um recurso já utilizado em temporadas anteriores. Isto não é necessariamente ruim. Tudo dependerá de uma boa condução de episódios, algo que tem se mostrado satisfatório até o momento. Fica agora a expectativa que a qualidade se mantenha no mesmo nível destes primeiros episódios. Afinal de contas, nossas esperanças de um futuro fantástico foram novamente atualizadas.

Ficha técnica:

  • Episódio: 11×2: The Ghost Monument
  • Data de exibição: 14 de outubro de 2018
  • Roteiro: Chris Chibnall
  • Direção: Mark Tonderai
  • Duração: 48 minutos
  • Elenco: Jodie Whittaker (Décima terceira Doutora), Bradley Walsh (Graham O’Brien), Tosin Cole (Ryan Sinclair), Mandip Gill (Yasmin Khan)
  • Elenco convidado: Shaun Dooley (Epzo), Susan Lynch (Angstrom), Art Malil (Ilin), Ian Gelder (voz dos Remnants)
    .

Assista ao trailer:

Sobre Marcus Alencar

Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida