Capa » Cinema e TV » Doctor Who 10×0: The Return of Doctor Mysterio | Review
Doctor Who 10×0: The Return of Doctor Mysterio | Review

Doctor Who 10×0: The Return of Doctor Mysterio | Review

[SPOILERS] A 12º temporada de Doctor Who encerrou há alguns meses e até o momento não temos previsão de quando serão lançados novos episódios. No entanto, nunca é tarde para voltar no tempo. Mais precisamente, para um episódio especial que pode ser considerado o mais nerd da série:  The Return of Doctor Mysterio. Exibido em 2016 pela BBC, ele traz de volta o 12º Doutor (Peter Capaldi) inserido em uma trama que parece uma história em quadrinhos de super-herói. Não foi a toa que os fãs, assim como o Capitão América nos memes, entenderam a referência e aprovaram.

Em The Return of Doctor Mysterio, O Doutor e Nardole (Matt Lucas) juntam forças com um super-herói mascarado conhecido como The Ghost (O Fantasma) para uma aventura épica em Nova York. A missão deles é deter aliens trocadores de cérebros prontos para atacar Nova York. Quem se une a eles é Lucy Fletcher (Charity Wakefield), uma repórter do Daily Chronicle que está investigando a Harmony Shoal Institute, uma corporação multinacional que na verdade é base de operações dos temíveis vilões. Será que o Senhor do Tempo conseguirá salvar Manhattan? E o que será revelado a respeito de seu novo aliado?

Com essas indagações em mente, somos apresentados à premissa deste especial de Natal que de forma inusitada foge do tradicional da série nesse período do ano. Ao contrário do que poderia se esperar, não temos aqui uma história voltada única e simplesmente para falar sobre questões envolvendo o espirito natalino como já vimos em anos anteriores. Na verdade, a referência a isso fica apenas no início do episódio quando O Doutor conhece Grant (Logan Hoffman) quando ele ainda era apenas uma criança esperando pelo Papai Noel em seu quarto totalmente decorado com a temática heroica.

É nesse momento que entra em cena uma das maiores qualidades do roteiro escrito por Steven Moffat: a referência ao universo dos super-heróis dos quadrinhos. Felizmente, o texto do episódio permite-se brincar de várias formas com esse mundo fantasioso e diferenciado ao seu modo. Por esse motivo, não é a toa que temos rápidas “participações” dos heróis Marvel nos pôsteres de Grant e até a citação do lema clássico do Homem-Aranha. Quem sentiu falta disso em De Volta ao Lar certamente se sentirá agradecido com a cena em que O Doutor fala sobre poder e responsabilidade. Apesar disso, o verdadeiro foco referencial está no maior ícone das HQs do gênero: O Superman. Este é o exemplo dos detalhes que envolvem a destemida repórter Lucy e seu jornal; os poderes de Grant/The Ghost (Justin Chatwiw); a citação dos sobrenomes da dupla responsável pela criação do Superman e homenagens à clássica adaptação dirigida por Richar Donner.

Por incrível que pareça, essas não são as únicas referências que The Return of Doctor Mysterio faz ao universo das HQs heroicas. Na verdade, colocar The Ghost e O Doutor como aliados cria o que os fãs de quadrinhos conhecem como crossover. Curiosamente, essa não é a primeira vez que essa regeneração encontra um personagem com esse perfil. Em Robot of Sherwood (S8E3), ele encontra Robin Hood que se torna um grande aliado contra a ameaça do episódio mesmo não tendo uma relação muito amistosa com ele no início. Aqui neste especial o roteiro vai além disso e coloca a participação do Senhor do Tempo em diferentes momentos da vida de Grant como uma figura de mentor para o futuro super-herói americano. 

Referências nerds de lado, agora é hora de falar sobre alguns dos pontos fracos da trama. Se por um lado a clara inspiração em HQs seja interessante de várias formas, incluindo na parte de humor que aqui é muito mais leve e rápida, por outro o desenvolvimento dos vilões e da única personagem feminina é fraco. O roteiro não se preocupa em desenvolver muito os objetivos deles e nem sua origem além do fato de deixar um ponta solta que como vimos nos anos posteriores não foi utilizada ou sequer lembrada. O mesmo em relação à Lucy, cuja participação está mais para interesse amoroso/mocinha em perigo e homenagem bem rasa à Lois Lane. Talvez se o texto tivesse se inspirado em uma versão mais corajosa e destemida da repórter do Planeta Diário o episódio teria sido muito mais interessante.

No entanto, esses detalhes não podem ser considerados como uma “kryptonita” de alto risco para The Return of Doctor Mysterio. Tudo porque o que realmente salva o especial está justamente na sua capacidade de ser criativo e ao mesmo tempo divertido para o público, seja ele whovian, fã de quadrinhos de super-heróis ou ambos. Por esse motivo, é uma pena que The Ghost não tenha reaparecido em nenhum outro episódio da série até hoje. Apesar disso, o personagem recebeu em 2017 uma segunda chance de retornar ao univesrso who em uma minissérie publicada pela Titan Comics. Em outras palavras, uma oportunidade para junto com O Doutor voar cada vez mais para o alto e avante e viajar pelo tempo e espaço.

Ficha técnica:

  • Episódio: 10×0 – Doctor Who: The Return of Doctor Mysterio 
  • Data de exibição:
  • Roteiro: Steven Moffat
  • Direção: Edward Bazalgette
  • Duração: 60 min.
  • Elenco: Peter Capaldi (O Doutor), Matt Lucas (Nardole), Justin Chatwiw (Grant), Charity Wakefield (Lucy), Tomiwa Edun (Brock), Aleksandar Jovanovic (Dr Sim) e Logan Huffman (Grant Jovem)

Assista o trailer:

 

Sobre Marcus Alencar

Avatar
Apresentador do Leituracast, Jornalista, blogueiro e um homem de diversas paixões. Amo quadrinhos, cinema e literatura, mas não necessariamente nessa ordem. Acima de tudo, amo a forma como esses meios de comunicação conseguem produzir obras capazes de nos tirar do lugar-comum e propiciar a reflexão. No caso dos livros, destaco toda a saga de Percy Jackson nas séries de livros do escritor Rick Riordan. Não sei se foi à identificação quase que imediata com o personagem central ou fato de sempre me interessar por mitologia grega, mas o importante é que esses livros despertaram de forma mágica meu interesse pela leitura assim como outras grandes obras já fizeram o mesmo comigo em outros períodos e de formas diferentes. Enfim, ler pra mim é uma viagem especial e mágica que sempre farei com muito prazer em qualquer época da minha vida